O que você (e a sua empresa) pode fazer no Pinterest

O que você (e a sua empresa) pode fazer no Pinterest

 

Tenho usado o Pinterest cada vez mais. Entre um trabalho e outro, quando a vista precisa de um descanso, passo lá para “pinar” novas imagens. Criei álbuns de acordo com meus interesses e com o tipo de trabalho que executo atualmente. Um deles, inclusive, reúne desenhos que eu mesma fiz.

Além de descansar os olhos, o que me motiva a visitar o Pinterest é que eu estou em uma fase de visualizar coisas boas para a minha vida. Você pode pensar que eu li o livro “O Segredo”. Não tem segredo. Na verdade, eu acredito que nossa mente tem um poder que desconhecemos. Ao visualizar o que desejamos, nosso inconsciente acaba dando uma mãozinha e nos motiva a fazer algo concreto no dia-a-dia, em busca dos nossos sonhos.

Também me agrada o prazer de colecionar algo virtualmente. Eu sempre curti coleções. Porém, ao longo do tempo, desenvolvi outro hábito mais saudável: o do desapego. Hoje, não tenho nenhuma coleção material. O Pinterest me ajudou, portanto, a alimentar esse vício de reunir coisas de uma mesma categoria em um mesmo lugar.

Ademais… O Pinterest inspira. Querendo ou não, quando vou desenhar ou criar algo, acesso o meu repertório mental, e lá está parte das milhares de imagem que já vi no Pinterest.

………………..

Enquanto escrevia este post, lembrei-me de um episódio em uma das empresas onde trabalhei. Um colega da área de inovação tinha a missão de lançar um serviço envolvendo o Pinterest. Dentro dessa negociação com o Pinterest, teríamos que lançar o perfil da nossa marca.

Na época, a área de comunicação, onde eu trabalhava, não botou fé. Todos achavam que não era hora de investir tempo e dinheiro para gerar conteúdo no Pinterest. Eu estava no meio de campo, tentando administrar a pressão, e acabei criando um perfil com um conteúdo simples, aproveitando imagens que eu já tinha na mão.

Eu não acreditava que esse era o caminho, do ponto de vista editorial, mas havia uma negociação por trás disso tudo. Enfim, é o tipo de coisa que acontece quando se trabalha em uma grande empresa, e você está em uma posição de intermediário.

Resultado: o meu amigo ficou conhecido como “o cara do Pinterest”, pois todos os dias ele passava na minha mesa para tentar “me convencer a convencer” o meu chefe. Se fosse hoje, como uma boa usuária do Pinterest, eu teria defendido a criação desse perfil, fazendo o devido planejamento de conteúdo antes. E pensaria com muito cuidado sobre o tipo de conteúdo que poderia representar uma empresa de serviços. Afinal, é mais fácil trabalhar com produtos, quando se trata de imagens. Além disso, o Pinterest pode ser tudo, menos uma coleção de banners publicitários divulgando o seu negócio.

Vale um estudo mais aprofundado do que as empresas estão fazendo no Pinterest – cenas dos próximos capítulos aqui na Casa de Frilas 😉

Roberta da Purificação

[Artigos] [Mídias Sociais]

Postado em 20/06/2017